Publicidade de Empréstimo Destinado aos Pais ou às Crianças ?

por Emilio Conde em 9 abril 2014

 

Ao fundo uma casa grande e confortável com um jardim enorme e bem tratado. O pai muito bem equipado e a filha muito bem vestida. Já seria tudo isso uma segmentação do público-alvo? Este anúncio é destinado aos pais ou às crianças ?

Veja na seqüência abaixo, o antagonismo do pai ofertando e a filha recusando, que só é cessado quando a qualidade da oferta atinge o patamar “A”; A reação de cada um dos personagens, pode ser vista como  construtiva ou decepcionante, dependendo da valoração atribuída pelo telespectador.

HSBC Casa Arvore A

HSBC Casa Arvore B

HSBC Casa Arvore C

Ao final, na assinatura do VT, um desenho é mostrado (o sonho pode ser de qualquer tamanho, mas a sua concretização não).

HSBC Casa Arvore Assinatura

Então pergunto: qual é a mensagem deixada ?

  • Valoração ou Valorização dos sentimentos  entre pais e filhos ?
  • Qualidade material ou sentimental ?
  • O ofertado é para a diversão ou para a exibição junto às amiguinhas?
  • O valor do presente é diretamente proporcional ao seu preço de mercado ?
  • Está havendo distorção do conceito de valor ?

Mas para muitos, muitos pais brasileiros, quando fazem a simulação lembram que só pode oferecer aos seus filhos uma plataforma – simples mas aconchegante – construída com cinco tábuas, e não a casa rosa de dois andares.

E os filhos, constantemente bombardeados pela mídia,  que assistem à TV ao lado de seus pais ? Vão compreender a inviabilidade financeira do seu sonho materialmente inflacionado? Estas crianças possuem discernimento para compreender os argumentos de um pai angustiado ? Como convencer a criança a aceitar e valorar a plataforma – simples mas aconchegante, e esquecer a “mansão” ?

“Mas este VT é destinado às classes A e AB. Está sendo veiculado na TV por assinatura.” É o que muitos vão justificar. Mas a “TV à cabo”  não é mais exclusividade deste público, pois de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Data Popular, no Brasil quase 70% das assinaturas deste serviço vem da C.

Para evitar a abusividade em publicidade e comunicação mercadológica para crianças e adolescentes, no último dia quatro de abril de 2014, foi aprovada a Resolução Nº 163 do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente).

Então fica no ar – em nossas mentes e na TV:

Se as crianças chegam a participar de mais da metade das decisões de compra de uma família brasileira, mas são os pais que continuam pagando financeira e emocionalmente por elas; Este anúncio é destinado aos pais ou às crianças ? Já seria tudo isso uma filtragem, uma pré-avaliação de crédito ?

 

Comente